8 de jun de 2012

O Ser Psicodélico: Aldous Huxley


   Bom dia navegantes! Segurem-se bem na embarcação, pois a viagem não pode parar! É hora de curiosidade!!!
   E por que não uma curiosidade bibliográfica?! Com vocês, um pouco da vida de Aldous Huxley. O Ser Psicodélico!

   Nascido em Godalming, cidade britânica, em 26 de julho de 1894. Aldous Leonard Huxley foi um escritor inglês e passou parte de sua vida nos Estados Unidos, vivendo em Los Angeles por 26 anos. De 1937 ate a data de sua morte em 22 de novembro de 1963.
   Huxley foi um celebre entusiasta do uso responsável do LSD, como catalisador dos processos mentais do individuo, em busca do ápice da condição humana e de maior desenvolvimento das suas potencialidades.
   Oriundo de uma família pertencente a classe dominante, Aldous era neto de Thomas Henry Huxley, um grande biólogo da época defensor da teoria evolucionista de Charles Darwin. Estudou na escola de Eton, onde aos 16 anos tivera de a abandonar devido a uma doença nos olhos que o quase deixou cego, o impedindo então de continuar o curso de medicina.
   Após um tempo ele recuperou o suficiente da visão para lhe garantir a formatura com honra na Universidade de Oxford e lá teve seu primeiro contato com a literatura, conhecendo Bertrand Russel, Lytton Strachey e D.H Lawrence.
   Em 1921 lançou "Crome Yellow" o primeiro de uma serie de romances que combinam diálogos emocionantes e um aparente ceticismo, com profundas considerações morais. Ele também passou boa parte dos anos 20 na Itália fascista de Mussolini, que inspirou parte dos sistemas autoritários presentes em suas obras.
   Em 1931 saiu a sua maior obra "Admirável Mundo Novo", ou Brave New World, no original, os temas encontrados nela abordam grande parte de suas preocupações ideológicas, como a liberdade individual em detrimento ao autoritarismo do Estado.
   Em 1937, mudou-se para Los Angeles e embarca de vez no cinema e nas experiencias com a mescalina, como ele mesmo retratou em sua obra "As portas da percepção". Huxley era um tanto quanto diferente dos seus contemporâneos, ele abordava o universo dos psicoativos voltado a filosofia e antropologia.
   Em 1958 fez uma visita pela America Central, onde não pode deixar de passar pelo Brasil, ele visitou a aldeia dos Índios Xingus e conheceu algumas favelas do Rio de Janeiro. Em 59 ganhou o premio da Academia Americana de Artes e Letras, devido ao sucesso de seus romances.
   Nos últimos dias de vida Huxley, imposibilitado de falar escreveu a sua esposa o seguinte: "100 microgramas de LSD, aplicação intramuscular." Conforme o pedido ele injetou uma dose as 11:45 e uma outra horas depois e as 17:21 do dia 22 de novembro de 1963 veio a falecer.
   Aldous Huxley escreveu um total de 47 livros em sua vida e ficará por muito na memoria daqueles que apreciam a psicodélia.

Crédito: Google Imagens

Um comentário:

  1. Massa cara, eu ja li: A ilha, adimiravel mundo novo,
    o macaco e a essencia, as portas da percepção e o céu e o inferno. Histórias utópicas e antologicas.

    ResponderExcluir